As vendas no varejo brasileiro cresceram apenas 1% em março, segundo recente balanço da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Trata-se do menor percentual registrado no 1º trimestre deste ano: em janeiro o crescimento foi de 2,3% em comparação a dezembro; já em fevereiro chegou a 1,3% em comparação ao mês anterior.

Os índices do varejo, no entanto, poderiam ter performado melhor se os lojistas dessem maior atenção à disponibilidade dos produtos nas gôndolas ou prateleiras. Ao menos é o que aponta Henrique Pontes, diretor comercial da Teamcore, empresa multinacional especializada em tecnologias para o varejo e referência entre grandes marcas na América Latina.

“A indisponibilidade do produto, até por uma problemática de comunicação da loja com o estoque, tem impacto significativo diante das vendas realizadas e não-realizadas”, destaca o executivo da marca, responsável por um método exclusivo que transforma informação em ação, fazendo com que os itens estejam sempre disponíveis nas gôndolas no momento da compra.

Diante de todo o seu histórico de atuação - a empresa está presente em 7 países (Chile, Argentina, Brasil, Peru, Colômbia, México e Estados Unidos), em 60 cadeias de varejo, tendo atuado com mais de 400 marcas, em 35 mil lojas -, a Teamcore conseguiu apontar os três principais problemas que afastam o cliente dos estabelecimentos: produtos esgotados; produtos em estoque e estoque fantasma.

“Em todos os casos, o produto não está disponível ao cliente no momento da compra e isso pode acarretar uma perda de 10% a 20% nas vendas das empresas de bens de consumo”, destaca Pontes.

Para que empresas varejistas garantam a disponibilidade de produtos nas prateleiras das lojas físicas e on-line e o aumento das vendas, Pontes dá algumas dicas. “Fazer análises diárias para aplicar melhorias e direcionar equipes para os pontos com maiores oportunidades de vendas; ficar atento à disponibilidade dos produtos para que o cliente encontre o produto nas prateleiras; e ter um plano para abastecer lojas, supermercados, entre outros para evitar a falta de itens nas gôndolas são essenciais”.

Todos os dias, mais de 450 mil produtos estão de volta ao estoque devido à tecnologia aplicada pela retail tech, que possui Unilever, Lorèal, Danone, Colgate, Concha y Toro como alguns dos principais clientes. Além disso, por meio dos dados captados, ela consegue melhorar a produtividade de equipes entre 23% a 30%, reduzindo o tempo dedicado à supervisão e gestão.

Pode te interessar

A evolução do varejo no mundo: o que aprendemos com a NRF#22?

Metaverso desperta interesse do varejo nacional

Varejo: aumento da produtividade e desempenho dos negócios com automação alimentada por IA