Os chatbots estão ganhando cada vez mais espaço na maioria das empresas, independente do segmento. Praticidade, diminuição dos custos e agilidade são apenas três dos benefícios que uma automação de serviços pode trazer. No Brasil, este é um mercado crescente. Segundo pesquisa recente realizada pelo Gartner, ainda em 2018 mais 3 milhões de pessoas ao redor do mundo executarão tarefas regidas por chatbot.

Outro levantamento feito pela Mindbowser mostrou que, só no primeiro semestre deste ano, 75% das empresas globais passaram a utilizar ou planejaram usar chatbots em seus negócios. Tratando-se de receitas, este mercado tende a gerar mais de US$ 47 bilhões para empresas nos próximos dois anos.

No Brasil, robôs de atendimento virtual estão em sites, facebook e até mesmo no whatsapp das principais empresas. A Aktie Now, startup especializada em tecnologia para o atendimento ao cliente, já realizou projetos junto a Biva, Electrolux, SambaTech e Futura Imbatível (GIV Gráfica Online).

Recentemente, em palestra, Daryl Plummer, vice-presidente sênior da Gartner, declarou que “chatbots são a face da inteligência artificial”. Bruno Stuchi, CEO da Aktie Now, concorda com esta afirmação e acrescenta “os chatbots já existiam há alguns anos, porém, de 2016 para cá eles vêm roubando cada vez mais a cena. Até pouco tempo atrás os apps eram a forma mais rápida de contato entre uma empresa e seu público-alvo, porém, pesquisas revelam que, graças ao chatbot, este cenário vem sofrendo mudanças”.

De acordo com um levantamento realizado pela Forrester Reseach, a utilização dos apps vem sendo cada vez menor. Segundo a pesquisa, 84% das pessoas utiliza apenas cinco aplicativos por mês. Isso significa que os clientes estão cada vez mais exigentes quanto às suas necessidades de comunicação e demanda por serviços, sem precisar encher a tela do celular com um volume estrondoso de ícones.

As projeções da Gartner quanto aos aplicativos móveis ainda vão além. Segundo Plummer, até 2020 o investimento anual em chatbots superará o dos apps em mais da metade das empresas do mundo. Os sinais dessa informação já começaram a aparecer ainda em 2016, primeiro ano em que houve queda nos gastos com desenvolvimento de apps.

A Aktie Now nasceu justamente neste ano, quando os chatbots começaram a entrar em cena e já contribuiu para a melhora do atendimento de empresas de diferentes setores, principalmente Fintechs e Varejo. Um dos seus maiores objetivos é facilitar a vida das companhias e dos clientes, uma vez que, com a automação dos sistemas, os dois lados serão beneficiados. “Para as empresas a satisfação do cliente tem que estar em primeiro lugar, até porque, são eles que mantêm os negócios ativos”, disse Stuchi.

Hoje é comum as pessoas contatarem as empresas por meio das redes sociais ou sites, caso precisem resolver problemas ou dúvidas. Por essa razão aprimorar os sistemas de atendimento tem de ser a prioridade de todos os empresários. “A tecnologia está em todo lugar e é a responsável por clientes cada vez mais exigentes. Se contatam a empresa por meios online,  quanto mais ágil for o retorno, mais satisfeito o cliente ficará”, conclui o CEO.

Outras notícias

Aktie Now conquista certificação Great Place to Work®

Robôs de inteligência artificial e cognitiva reduzem custos operacionais

Quando vamos efetivamente aceitar os robôs?