Recentemente a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que regula as atividades de tratamento de dados pessoais, entrou em vigor e a partir de agora as empresas e órgãos públicos devem oferecer ainda mais segurança aos seus usuários no Brasil. A proteção de dados é fundamental para a garantia de todos os direitos de liberdade e de privacidade da população. E para reforçar ainda mais seu compromisso com a proteção de dados, a Funcional Health Tech - empresa líder em inteligência de dados e serviços de gestão no setor de saúde - afirma seu comprometimento com a privacidade de informações em todos os seus processos.

Para ampliar sua jornada de aperfeiçoamento e adequação com a lei, a Funcional contratou duas consultorias externas, o escritório Dannemann Siemsen, para a assessoria legal, e a empresa Cypher, para a assessoria técnica focada em segurança. De acordo com Natália Goda, gerente jurídica de Risco e Compliance da Funcional Health Tech, a companhia continuará a oferecer a efetiva transparência e proteção a seus clientes. Para a executiva, esses fatores sempre guiaram a operação da Funcional Heatlh Tech.

"Para a companhia a segurança de dados é fundamental e é vital. Esta iniciativa reforça ainda mais a credibilidade na operação de dados de terceiros, em que é preciso de confiança de governança. A regulamentação é positiva para o nosso tipo de negócio, com o estabelecimento de regras claras e um mercado regulado com conformidade na lei", afirma.

Os valores da Funcional apoiam os avanços que a nova lei trará ao mercado e firma seu compromisso de aperfeiçoamento de processos. Como parte da cultura #éissoquenosune, a companhia investe em um contínuo aprendizado de melhores práticas, para a construção conjunta e efetiva de soluções para a busca de inovações por parte de seus gestores e colaboradores. "Estamos aperfeiçoando a nossa governança e as nossas práticas de proteção cada vez mais, com o desenvolvimento constante de políticas e utilização de dados. Hoje todo nosso time já tem como premissa pensar em privacidade desde a ideia, concepção e desenvolvimento do produto", complementa Natália.

Para Carlos Eduardo Elizário de Lima, da consultoria legal Dannemann, as mudanças para o cliente serão positivas. "A gente vai passar a ter uma governança muito mais efetiva e com mais transparência do que fazemos com o dado de terceiros. Além da transparência, a Funcional se preocupa com a segurança de uma relação com o seu cliente, que reflete também para o consumidor final, o dono do dado. A cadeia toda ficará mais segura e transparente", explica.

Pode te interessar

Saiba como a automação pode apoiar empresas na sustentação de processos exigidos pela LGPD

Agora vigente, como a LGPD impacta nas empresas?

Chatbots também devem se adequar a LGPD