Diante das recentes turbulências enfrentadas pela economia mundial, os departamentos de Recursos Humanos das empresas passaram a buscar opções para redução de gastos fixos. O desafio, contudo, está em obter esta economia real sem que isso represente cortes de pessoas.

Embora cada empresa tenha suas especificidades, estruturas e necessidades, a maioria compartilha o entendimento de que evitar o desperdício de recursos pode determinar a sobrevivência de um negócio. "Em conversas com gestores de negócios dos mais diversos segmentos, ao questionar qual é a maior preocupação da empresa, a resposta que surge é basicamente a mesma: reduzir custos. E isso não é exclusividade dos empreendedores de pequeno ou médio porte, mas também as grandes companhias têm a economia de recursos como fator de preocupação prioritária", comenta Renato Zacharias, sócio-diretor da RB Serviços, especializada na gestão de Vale Transporte e outros benefícios para corporações dos mais diversos segmentos.

Zacharias explica que o custo do pacote de benefícios pode chegar a um valor médio de 20% a 30% do total da folha de pagamento das empresas. Na ponta do lápis, se não gerenciados devidamente, esses custos fixos podem causar um desperdício considerável de recursos, um valor que pode representar a manutenção de empregos ou o investimento em melhorias de infraestrutura e desenvolvimento de novos produtos.

A dificuldade está, contudo, na forma como identificar e fazer os ajustes necessários para que a engrenagem do seu negócio não fique emperrada. Afinal, por onde começar a cortar? "Pode parecer óbvio, mas para economizar com inteligência é primordial ter acesso a informações de qualidade. Se uma corporação não tem indicadores confiáveis, e portanto não sabe as causas dos gastos excessivos, realmente não conseguirá saber onde está o problema. E deixa passar uma grande oportunidade da empresa economizar", diz Zacharias.

Gestão inteligente de Vale Transporte
Ao longo de quase 16 anos de experiência fornecendo soluções Para empresas de todo o Brasil, o executivo da RB Serviços observou a carência de ferramentas especificamente voltadas ao acompanhamento dos gastos com o VT. E foi com base nessa percepção que a empresa desenvolveu a ferramenta Gestão Inteligente de Vale Transporte, que por meio de uma auditoria regulariza a utilização do benefício, sem, contudo, alterar o trajeto do colaborador.

Resumidamente, a partir de uma plataforma online, o cliente informa os valores a serem creditados para cada colaborador. Feito isso, a RB Serviços realiza o cruzamento dos dados e o perfil de uso do benefício por parte dos funcionários. "Após essa análise, nossa equipe indica para a empresa o novo valor necessário para a compra do Vale Transporte - sem alterar o trajeto do colaborador. Com a Gestão Inteligente de Vale Transporte, portanto, a empresa consegue realizar a recarga proporcional dos créditos necessários para uso ao longo do mês. Isso permite ao departamento de Recursos Humanos efetuar uma compra mais precisa, sem desembolsos extras", comenta Zacharias.

O valor economizado, que pode chegar a 35% do total de custos do vale transporte ao mês, pode ser então reinvestido, por exemplo, em melhorias estruturais ou na concessão de outros benefícios direcionados aos funcionários.

"Em ano de crise, as palavras de ordem para sobreviver e avançar no mundo dos negócios são mapear todos os gastos, aplicar os recursos de forma devida e agir sempre dentro da legalidade. Tanto quanto aumentar a produtividade ou o volume de vendas, medidas aparentemente simples para gerar redução de custos fixos podem fazer a diferença", finaliza.

Leia mais

Um novo olhar sobre a otimização da força de trabalho

Benner apresenta soluções para apoiar estratégias de RH

Temperatura no ambiente de trabalho afeta desempenho do profissional